Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente

Obrigado por se cadastrar!
Desculpe, mas algo deu errado. Por favor, tente novamente.

Aquela figura do nerd da escola, estudioso, inteligente e, na maioria das vezes, tímido e rotulado de CDF (sem piadinhas), evoluiu e tornou-se uma persona focal para o mercado – de conteúdo e produtos culturais. A nova geração de nerds é muito mais desinibida, aficionada por games, tecnologia e histórias lúdicas que empreende novas ideias e movimenta o cenário econômico. São os chamados Geeks, que consolidaram-se como um nicho amplamente valioso, com poder aquisitivo e, consequentemente, gerador de tendências.

No universo pop/geek, as ideias, por mais geniais e atrativas que sejam, devem sempre estar atreladas à experiência que o consumidor vai ter ao adquirir um produto/serviço. O primeiro passo para empreender no ramo é conhecer bem o perfil do consumidor final. Sai na frente aquele produtor que entende a demanda do seu público e, por isso, é frequente vermos os próprios geeks empreenderem no seu nicho. A imersão neste universo possibilita o surgimento de insights poderosos para negócios mais certeiros.

Olhando para dentro do contexto, é possível enxergar esses personagens empreendedores: Steve Jobs (Apple), Mark Zuckerberg (Facebook), Larry Page e Sergey Brin (Google), Bill Gates (Microsoft), Alexandre Ottoni e Deive Pazos (Jovem Nerd), Marcelo Forlani, Marcelo Hessel e Érico Borgo (Omelete) e por aí vai. Todos eles, acima de tudo, estavam tão imersos nos seus próprios nichos que entendiam demasiadamente as necessidades dele.  

Mas, além de conhecer bem o seu público, há outra regra básica: pensar estrategicamente. Ou seja, tornar possíveis as ideias, somar aprendizados e elaborar um plano de negócios que possibilite o surgimento e consolidação de oportunidades. As possibilidades são incontáveis: games, HQs, filmes, séries, aplicativos, colecionáveis, eventos, moda, produtos licenciados, etc. Todas as ramificações são legitimadas por um único sentimento: valor! Ao agregar experiência do seu produto ao consumidor, você cria um vínculo tão forte que pode torná-lo inquebrável: um geek sempre volta para uma segunda edição.  

No entanto, apostar neste nicho só é viável quando o apostador desloca sua visão de um hobby, mero divertimento, para um investimento em experiência, seja ela inovadora ou nostálgica. Lembre-se: esse público quer, antes de tudo, sentir.

A CCXP Tour Recife, que acontece de 13 a 16 de abril, é uma grande oportunidade para entender como funciona esse setor que cresce de forma considerável a cada ano. Além de insights para novos negócios, a experiência do evento vai dar algo ainda mais valioso: a observação daqueles que vão para vivenciar o épico.